Tag Archives: movimento lgbt

A psicologia e o Dia Internacional do Orgulho LGBT

Fonte da imagem: Maria do Céu

No dia 28 de junho de 1969, policiais entraram no bar Stonewall Inn, em Nova York, nos EUA, para uma suposta vistoria. O bar era um reduto LGBT e ficava em uma vizinhança do mesmo tipo, porém, na época, a homossexualidade era considerada uma doença, e os gays eram perseguidos e não podiam consumir álcool. A ação resultou em protestos contra a opressão, tornando-se um dos maiores marcos na luta contra a homofobia. A data ficou marcada como uma forma de celebrar o orgulho LGBT.
Fonte: Megacurioso

O movimento já passou por diversas fases e teve várias siglas diferentes. Atualmente, a sigla LGBT corresponde à Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transsexuais/Travestis – por conta disso, também é comum encontrar a sigla como LGBTT (visto que, travestis e transsexuais não são a mesma coisa). A diversidade de expressão de sexualidade e de gênero é tão diversa quanto a própria humanidade e isso acaba dificultando ao se pensar em uma sigla que consiga representar todo o movimento.

Em 17 de maio de 1990, a Organização Mundial de Saúde (OMS) retirou a homossexualidade da lista internacional de doenças. Nem por isso, infelizmente, os efeitos de uma cultura de exclusão recheada de estereótipos negativos deixaram de perseguir homossexuais, travestis, transexuais e demais pessoas que se encaixavam em uma identidade sexual e de gênero diferente da considerada padrão pela sociedade.

Em 1999 o CFP (Conselho Federal de Psicologia) publicou uma resolução (Resolução nº 001/1999) que estabelece normas de atuação para os psicólogos em relação à questão da Orientação Sexual. Resumidamente, a resolução supracitada considera que a homossexualidade NÃO constitui doença, distúrbio ou perversão e considera, portanto, que ela é parte da identidade do sujeito, devendo o(a) psicólogo(a) contribuir com seu conhecimento para esclarecer as questões da sexualidade, permitindo a superação de preconceitos e discriminações (ainda tão presentes em nossa sociedade). Além disso, é vedado ao profissional de Psicologia qualquer conduta que vise a patologização desta questão, bem como de oferecer tratamentos que visem a “cura” ou a “correção” da sexualidade através de um modelo heteronormativo. Aproveirto e deixo a recomendação de leitura também do Caderno Temático do CRP-SP – Psicologia e Diversidade Sexual e da publicação do CFP intitulada Psicologia e Diversidade Sexual: desafios para uma sociedade de direitos.

É interessante que possamos conhecer, ainda que de forma superficial, o que se quer dizer quando se fala de sexualidade, afetividade, gênero e identidade. A variedade de expressões é imensa e a discussão das várias vertentes é muito mais aprofundada, mas vamos tentar dar conta de um pouco do tema de forma tranquila a título de informação com a imagem abaixo.

Fonte da imagem: UNIBH

O fato é que, independentemente do gênero, identidade, sexo, sexualidade, somos todos seres humanos. Isso quer dizer que todos nós, temos o direito de buscar auxílio e atendimento psicológico para nosso sofrer, sem sermos tratados com preconceito. Infelizmente, o número de pessoas que buscam ajuda e acabam se deparando com o preconceito dos profissionais de saúde de uma forma geral, ainda é muito grande. E, mais infelizmente ainda, por serem diferentes do padrão social e viverem em uma sociedade – e, muita vezes também em uma família – que não os aceitam ou os respeitam como são, sofrem ainda mais com uma série de inseguranças, sentimentos de inadequação e rejeição, dificuldades em relacionamentos amorosos (muitas vezes, se envolvendo em relacionamentos abusivos e tóxicos), dificuldades em suas carreiras profissionais, entre muitas outras.

Portanto, não desista de você e nem de sua saúde. Cuide do seu sofrimento, porque você também merece cuidados. Procure um profissional de confiança, que vá lhe tratar com respeito e mergulhe em suas questões pessoais, reescreva sua história e encontre forma mais saudáveis de se relacionar consigo e com os outros à sua volta. A psicoterapia também pode te ajudar. Boa sorte!


ATENÇÃO: O conteúdo deste site é de caráter informativo. Se você precisar de ajuda especializada, não hesite: entre em contato com um(a) profissional da sua cidade. Sempre que for utilizar algum texto de minha autoria, o faça em formato de citação, com os devidos créditos e link para a postagem original.