Tag Archives: #setembroamarelo

Alguns fatos que provavelmente você não sabia sobre suicídio… #setembroamarelo

Eu e Roger Bravo, coordenador do CVV Recife

Eu e Roger Bravo, coordenador do CVV Recife em evento promovido pelo CREMEPE sobre o tema

A segunda postagem do mês sobre o tema suicídio demorou, mas saiu! Esse mês muitos eventos estão acontecendo sobre o tema e estou tentando participar do máximo que consigo e aprendendo muito com eles. Em um deles, inclusive, tive a oportunidade de conhecer Roger Bravo, coordenador do CVV Recife e ele me chocou com uma série de informações sobre o tema que eu não sabia. Conhecimento é poder, ainda mais quando falamos nesse tema e queremos salvar vidas de quem não consegue ver nada além de dor na sua frente, então achei importante que mais pessoas soubessem dessas informações…

O suicídio mata mais pessoas do que homicídios – essa foi a informação que mais me chocou e me deixou pensativa por muito tempo. Piorou quando eu descobri que os números INCLUÍAM os conflitos armados, guerras, etc. Vocês têm noção do quão significativo é isso? A maioria dos casos de suicídio não são divulgados pela imprensa e quando o são, muitas vezes são feitos de uma maneira terrível, trazendo uma série de informações equivocadas, opiniões grotescas e exposições desnecessárias. O homicídio mata cerca de 437 mil pessoas por ano, enquanto o suicídio mata cerca de 883 mil pessoas! Ainda assim, pouco se fala sobre o tema! Infelizmente, isso é uma prova quantitativa daquele ditado que diz que o nosso pior inimigo somos nós mesmos… Precisamos estar mais atentos ao que se passa dentro de nós e em nossa saúde mental, ainda tão negligenciada.

O número de suicídios cresce a cada ano – apesar do Brasil ter subido e, recentemente caído no ranking de suicídios, no mundo não é bem isso que acontece. Um estudo que analisou as taxas de suicídio nos EUA, no Canadá e na Europa mostrou que em todos eles, houve um crescimento: de 4,8%, 4,5% e 6,5%, respectivamente. De forma geral, o número de casos cresceu 60% desde a década de 1970 e agora assumiram um ritmo ainda mais intenso. Além disso, já há o alerta de profissionais indicando que a crise financeira atual pode elevar ainda mais estas taxas.

Os médicos e profissionais do exército representam um grupo cujo número de suicídios vêm aumentando – sobre os médicos, especialmente estudantes de medicina, anestesistas e cirurgiões. A taxa de suicídio de médicos no mundo é maior que o de TODAS as outras profissões. Este tópico ganhará uma postagem específica em breve, é realmente preocupante e repleto de particularidades.

Os homens se matam mais que as mulheres – as mulheres têm mais tentativas de suicídio, porém os homens se suicidam mais (quatro vezes mais, pra ser mais exata) por usarem métodos mais agressivos e letais. Por outro lado, dentro do grupo dos médicos, o gênero que mais se mata é o feminino.

Crianças também tentam se matar – um grupo muitas vezes negligenciado quando se fala em depressão, suicídio, etc é o grupo das crianças. O bullying na escola e experiência negativa com figuras parentais são os principais fatores de risco para suicídio na infância e adolescência. O número de crianças que se matam é baixo, ainda bem, por terem maior dificuldade de acesso a métodos letais e imaturidade cognitiva, porém a ideação suicida ocorre com mais frequência. Por outro lado, na adolescência, o suicídio é a terceira maior causa de morte. Mais de 70% das crianças e adolescentes com transtornos de humor grave não recebem diagnóstico nem tratamento. Precisamos cuidar mais da saúde mental das nossas crianças e adolescentes…

A maioria das pessoas que cometem suicídio apresentam algum transtorno mental na época do Suicídio – o mais comum é algum transtorno de humor como a depressão e o transtorno bipolar (há vários outros dentro desta categoria). Acho importante frisar que pode ocorrer, por exemplo, de uma pessoa que nunca tenha tido depressão, acabar desenvolvendo um episódio depressivo em um momento particularmente delicado de sua vida. Por isso o título fala sobre o transtorno na época do suicídio. Dois outros grupos de transtornos mentais que também são representativos nesta temática é o das pessoas que possuem esquizofrenia e transtorno de personalidade borderline.

Suicídio no Brasil afeta mais os idosos, mas cresce entre jovens – em especial nas faixas de idade entre 15 e 35 anos e acima de 75 anos. O problema cresce entre jovens do sexo masculino. No grupo de pessoas entre 15 e 29 anos de idade, o suicídio se encontra entre as TRÊS principais causas de morte…

Quem tenta suicídio uma vez, tem 50% de chances de tentar de novo – quem tenta uma segunda vez, tem 70%, quem tenta três vezes, tem 90%. Essas informações foram passadas por um psiquiatra em um dos seminários que participei. Percebo que ela ressalta a importância de levarmos bem a sério as tentativas de suicídio e cuidarmos dessas pessoas que, na grande maioria das vezes, não recebem cuidados médicos e psicológicos adequados e ainda podem sofrer da falta de compreensão e julgamento dos seus pares, familiares e amigos.

Se você precisa de apoio emocional, conte com o CVV. Ligue 141 ou acesse os site clicando aqui

Algumas das fontes utilizadas:


ATENÇÃO: O conteúdo deste site é de caráter informativo. Se você precisar de ajuda especializada, não hesite: entre em contato com um(a) profissional da sua cidade. Sempre que for utilizar algum texto de minha autoria, o faça em formato de citação, com os devidos créditos e link para a postagem original.